A colonoscopia é o principal exame para investigação de doenças do intestino. Esse exame permite que o médico gastroenterologista, com especialização em endoscopia, possa examinar a parte interna do intestino. A colonoscopia é realizada através de um aparelho que é um tubo fino e flexível com uma câmera de vídeo na ponta que vai filmar o intestino por dentro. O objetivo é examinar cada detalhe e buscar qualquer alteração que esteja ali no intestino do paciente.

Para que o médico possa analisar a parte interna do intestino, o órgão precisa estar limpo, então o paciente precisa tomar medicações laxantes para esvaziar e deixar o intestino bem limpo.

Quando a colonoscopia é indicada

As quatro principais indicações para a realização do exame:

1 – Rastreamento e prevenção do câncer de intestino. Esse é o principal exame especialmente para pacientes que têm histórico de familiares próximos com diagnóstico da doença. Quando existe esse quadro, a pessoa deve procurar realizar o exame mais cedo do que a indicação geral. O médico será o responsável por fazer a indicação correta, que tem a ver com o histórico pessoal.

2 – Pesquisar sangramentos. Nenhum sangramento presente nas fezes é normal e precisa ser investigado. Apesar de que, na maioria das vezes, a causa são as hemorróidas, é importante investigar para descartar outros problemas como tumores ou pólipos que podem estar provocando o sangramento.

3 – Avaliação de sintomas. O principal deles é a diarréia crônica e persistente, a colonoscopia é importante na investigação avançada e detalhada deste tipo de problema.

4 – Investigar melhor alterações que podem ter aparecido em outros exames. A pessoa pode ter feito uma tomografia para investigar um problema no rim e apareceu alguma suspeita de alteração no intestino. Neste caso, é necessário fazer uma investigação  para tirar a dúvida e resolver o problema.

Quando a colonoscopia é contra indicada

Mesmo sendo um exame muito importante e seguro, não é isento de riscos, então é preciso avaliar o benefício que ela vai trazer, que tem que ser menor do que o possível risco de realizar o exame.

Existem casos em que não é possível realizar o exame:

  • Quando o paciente não quer e não consente. Ele pode não querer realizar o exame, e precisa ser respeitado, mas deve entender que os benefícios são maiores do os riscos.
  • Quando existe uma situação com sintomas graves. Não deve ser nem iniciada a preparação se o problema for muito sério, como uma dor intensa, ou quando o médico tiver uma suspeita de perfuração do intestino em uma diverticulite , por exemplo.

Se o paciente tem suspeita de diverticulite, que é uma inflamação em uma parte do intestino, o exame não deve ser feito durante uma crise

Como é realizada a preparação para a colonoscopia

O intestino precisa estar limpo. Cada clínica ou hospital tem uma estratégia para essa limpeza. De uma maneira geral, é importante que o paciente faça uma dieta alguns dias antes do exame. Essa dieta vai variar de acordo com cada estratégia, mas é necessário reduzir a quantidade de fibras. 

As fibras estão muito presentes em cereais, vegetais e frutas. A redução desse tipo de alimentos, principalmente os que têm sementes, é fundamental.

A limpeza do intestino é importante para que o exame seja feito em condições melhores e consequentemente com resultados mais satisfatórios para o diagnóstico. 

No dia anterior ao exame, ou algumas horas antes dependendo do horário marcado, o paciente vai ingerir uma medicação que tem a função de ser laxante e colocar para fora o que está no intestino em uma quantidade maior.

Depois desse laxante, o paciente deve ingerir bastante líquido. Qualquer tipo de líquido que não tenha resíduos, se for suco de frutas precisa ser coado e que tenha cor clara.

Podem ser escolhidos os isotônicos, mas sem corantes escuros, como o sabor uva por exemplo. Os corantes fortes podem deixar o interior do intestino mais escuro e até dificultar a realização do exame e até confundir o médico que poderia identificar como o indício de um sangramento.

Esses líquidos, como sucos de laranja, limão, água de coco e muita água, podem ser ingeridos até o horário próximo da realização do exame.

Depois de ingerir esse medicamento a pessoa vai evacuar uma série de vezes, quatro, cinco e até seis vezes é considerado normal nesta situação, porque o objetivo é realmente esvaziar o intestino.

O material expelido precisa ter uma cor clara, sem resíduos. Isso vai indicar que a preparação foi realizada da forma correta

Como é realizada a colonoscopia

  • No local de realização do exame, que deve ser uma clínica ou hospital, o paciente será orientado a vestir um avental e deitar em uma maca. 
  • Será inserido um acesso venoso por meio de um cateter, que é o local por onde o médico vai administrar alguma medicação caso seja necessário, e o sedativo para o paciente dormir. O exame normalmente é feito sob efeito de sedação, o paciente dorme e não vê ou sente nada.
  • Esse sedativo é considerado, tecnicamente, uma anestesia, mas a quantidade de medicamento é para que seja feita uma sedação consciente e profunda para que o paciente possa dormir e não sentir nenhum tipo de desconforto durante o exame.
  • O tempo de realização do exame geralmente varia, mas de maneira geral, são necessários 30 ou 40 minutos.
  • A pessoa acorda logo após o exame e essa quantidade de medicamento é calculada para que assim que termine o exame o paciente já comece a despertar e acordar. 
  • O paciente fica mais alguns minutos deitado na maca para recuperação sob observação das equipe de enfermaria e dos médicos até que esteja se sentindo melhor e possa ser liberado para ir para casa.
  • O paciente não poderá sair sozinho da clínica. É importante que todo paciente que recebeu medicamento sedativo tenha um acompanhante responsável por essa pessoa.
  • A indicação pós sedação é não dirigir por pelo menos 12 horas ou realizar atividades que exigem a utilização dos reflexos. É possível comparar com a utilização de bebida alcoólica.
  • Ao chegar em casa será necessário descansar um pouco enquanto completa a recuperação. Logo poderá voltar a se alimentar, no dia seguinte, vida normal.

Procedimentos durante a colonoscopia

Durante o exame podem ser necessários alguns procedimentos. Os mais comuns são:

Biópsia durante a colonoscopia

É a retirada de pequenos fragmentos do interior do intestino para que seja enviado para análise em um laboratório. Outro médico especialista vai analisar no microscópio aquelas células que podem indicar alguma alteração. Essa biópsia não causa nenhum desconforto para o paciente durante a realização do exame. 

Polipectomia 

É a retirada de um pólipo. O pólipo é uma alteração no intestino com o formato de uma verruga, como se fosse uma saliência. Na maioria das vezes não representa nada preocupante, mas, a retirada de um pólipo pode evitar que ele cresça e se torne um câncer de intestino.

É muito importante que quando o paciente saiba que isso pode acontecer e já deixe autorizado por meio de um termo de consentimento.

Caso essa autorização prévia não seja feita, o médico vai realizar o exame e identificar se tem algum problema, e se realmente precisar ser retirado ou investigado, será necessário marcar novamente um novo procedimento de colonoscopia.

Possíveis riscos da realização de uma colonoscopia

A colonoscopia é um exame que apresenta uma incidência de complicações e riscos muito pequenos em relação aos benefícios que esse exame traz. Contudo, mesmo quando bem indicado, podem existir algumas complicações.

As principais delas são:

A preparação: Pessoas com saúde muito debilitada, ou muito idosas, devem seguir muito bem as orientações a respeito dos laxantes. 

Os medicamentos podem provocar vômitos, cólicas, tonturas e até desmaios. Nessas situações será necessário um atendimento ao paciente durante a preparação.

É importante manter contato com a clínica ou hospital onde está sendo realizado o atendimento relacionado a qualquer complicação.

Por isso, a avaliação é feita caso a caso, o médico vai passar as orientações e avaliar os riscos e benefícios.

Sedação: Como qualquer medicamento anestésico, em pessoas que têm doenças graves como insuficiência cardíaca e renal, o risco é aumentado, mas o médico vai avaliar e controlar o tipo de medicamento e a dose que será aplicada de acordo com o paciente.

Procedimento: É muito raro durante o exame, mas pode acontecer.

1 – Perfuração do intestino

2 – Sangramento

3 – Dor após o exame em função dos gases que resultam do procedimento. O aparelho injeta ar para que o intestino distenda para que o médico possa examiná-lo. Na saída do aparelho o médico retira o ar, mas pode acontecer algum tipo de cólica no pós-exame.

Esses riscos maiores, de perfuração e sangramento, são estatisticamente raríssimos: 1 a cada 10 mil exames podem trazer algum tipo de complicação mais séria.

Colonoscopia é um exame seguro?

Sem dúvida nenhuma, de acordo com o Gastroenterologista Dr. Eduardo Usuy, os benefícios que essa exame traz na prevenção do câncer de intestino é muitas vezes superior aos riscos da realização do exame.

“É preciso escolher o local em que esse exame vai ser feito. É fundamental que seja realizado em local com estrutura e equipe técnica qualificada e experiente para que o risco seja o mínimo possível”.

Confie no seu médico e não deixe de realizar o exame, não tenha medo. Quando os problemas de intestino são diagnosticados de forma precoce eles têm um excelente prognóstico de cura.

Cuide da sua saúde com a manutenção dos bons hábitos de alimentação e estilo de vida, e não deixe de realizar consultas regulares com seu médico de confiança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *