Todos sabemos que a internet é, ao mesmo tempo, uma fonte inesgotável de conhecimento e uma “fábrica” de conteúdo sem nenhum embasamento teórico-científico. Vivemos tempos em que as “fake news” se espalham rapidamente e tomam conta das redes sociais, dos aplicativos de conversa e até de sites aparentemente confiáveis.

Nem questões relacionadas à saúde, como a intolerância à lactose, escapam das fake news. Basta uma rápida busca para perceber que a desinformação é grande. O grande problema das mentiras publicadas na internet em relação a doenças ou outras condições de saúde, como alergias e intolerâncias alimentares, é que elas podem adiar a procura por atendimento médico e agravar o caso.

Para sanar as dúvidas mais comuns sobre intolerância à lactose, preparamos este guia de mitos e verdades sobre intolerância à lactose. Mas, antes, é preciso explicar o que é lactose e por qual razão ela causa tantos desconfortos a algumas pessoas.

O QUE É LACTOSE E POR QUE ALGUMAS PESSOAS SÃO INTOLERANTES A ELA?

Lactose é o açúcar presente no leite e em seus derivados. A lactose é quebrada no processo digestivo por uma enzima chamada lactase, produzida pelo intestino delgado.

Em algumas pessoas essas enzimas são deficientes ou até ausentes, assim, as moléculas do açúcar do leite não são digeridas corretamente. Essa condição é chamada de intolerância à lactose e, embora não seja uma doença grave, merece atenção e tratamento adequado.

QUAIS OS PRINCIPAIS SINTOMAS DE INTOLERÂNCIA À LACTOSE?

Cerca de 40% da população brasileira relata sentir algum tipo de desconforto ou problema digestivo ao ingerir leite ou derivados, ou seja, têm algum grau de intolerância à lactose.

Entre os sintomas, os mais comuns são dores abdominais, gases, sensação de estufamento abdominal, diarreia ou constipação, enjoos e até dores de cabeça.

MITOS E VERDADES SOBRE LACTOSE EM TEXTOS PUBLICADOS NA INTERNET

Todos os alimentos lácteos contêm lactose.

MENTIRA. Nem todos os alimentos feitos com leite de origem animal têm lactose. Por exemplo, durante o processo de fabricação de alguns tipos de queijo, as moléculas de açúcar são quebradas, assim, o produto final não possui lactose.

O leite de coco não contém lactose.

VERDADE. Nenhum leite vegetal, como o leite de coco, de amêndoa, de arroz etc. possui lactose.

Os leites de cabra, de ovelha e de búfala não possuem lactose.

MENTIRA. Todos os leites de origem animal têm lactose em sua composição (inclusive o leite materno!). Alguns alimentos derivados desses leites, como iogurtes e queijos, podem ter a lactose eliminada durante a fabricação.

A lactose causa alergias respiratórias em crianças.

MENTIRA. Muitas pessoas utilizam o termo “alergia à lactose”. A lactose não causa alergias, ela causa somente intolerância alimentar. É preciso ficar atento, pois a alergia costuma ser mais grave e inspira maiores cuidados.

Quem faz dieta com restrição de produtos lácteos deve fazer suplementação de cálcio.

DEPENDE. O cálcio está presente em muitos alimentos e, se houver uma dieta equilibrada, não há necessidade de tomar suplementos com cálcio. São exemplos de fontes de cálcio: brócolis, espinafre, gergelim, amaranto e laranja. Outra boa opção são os produtos com adição de cálcio, como bebidas à base de soja.

Consulte um nutricionista para avaliar se a sua ingestão de cálcio está adequada.

O ácido lático é um derivado do leite.

MENTIRA. O ácido lático utilizado na indústria alimentícia é de origem vegetal, portanto, livre de lactose.

Os iogurtes podem ser consumidos por pessoas com intolerância, pois possuem baixo teor de lactose.

MENTIRA. Iogurtes comuns não devem ser consumidos por pessoas com intolerância à lactose.

Quem tem intolerância à lactose não deve ingerir nenhum alimento lácteo.

DEPENDE. O grau de intolerância à lactose é variável. Algumas pessoas conseguem digerir manteiga, queijo ou outros produtos com baixo teor de lactose, enquanto outras precisam restringir completamente o consumo. Há, ainda, a possibilidade de se usar cápsulas de enzima lactase, que permitem que as pessoas comam algumas porções de alimentos com lactose.

Os alimentos que contêm traços de lactose podem ser consumidos por quem tem intolerância.

VERDADE. Os traços de lactose não afetam os intolerantes à lactose.

Nenhuma pessoa deveria consumir lactose.

MENTIRA. Não existe comprovação científica de que cortar alimentos com lactose da alimentação traz benefícios para a saúde de quem não tem intolerância. Pelo contrário: parar de consumir produtos lácteos sem o acompanhamento de médico ou nutricionista pode causar deficiência de cálcio.

Existe tratamento que cure a intolerância à lactose.

DEPENDE. De maneira geral, a primeira recomendação médica é suspender o consumo, até que se confirme o diagnóstico. Após o resultado dos exames, cabe ao médico analisar cada caso e determinar se o paciente pode ingerir pequenas quantidades de alimentos com lactose (com ou sem o uso de cápsulas de lactase) sem que isso provoque sintomas.

QUANDO DEVO FAZER O TESTE DE INTOLERÂNCIA À LACTOSE?

Quando houver dores abdominais, desconforto, diarreia ou outros sintomas associados ao consumo de lactose, deve-se buscar orientação médica. Após análise clínica, o especialista pode indicar exames para diagnosticar a intolerância à lactose. O teste de hidrogênio expirado e o exame de sangue são os mais utilizados para confirmar essa situação.

No teste de hidrogênio expirado, o paciente ingere uma fórmula com lactose e são colhidas amostras de ar a cada meia hora. Para colher a amostra, o paciente deve soltar o ar da respiração em um aparelho, como um bafômetro. Dependendo da quantidade de hidrogênio expirado pelo paciente, é possível verificar o grau de intolerância à lactose, pois quem não digere corretamente o açúcar do leite elimina mais hidrogênio.

Para o exame de sangue, o paciente também precisa tomar um líquido com
lactose antes de colher as amostras. Baixos níveis de açúcar no sangue após a ingestão da lactose indicam intolerância.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *