Esofagogastroduodenoscopia é um nome extenso para um exame simples e bastante realizado em clínicas do aparelho digestivo: a endoscopia digestiva alta. Seu nome remete aos órgãos que são avaliados nesse procedimento: esôfago, estômago e duodeno (parte inicial do intestino delgado).

Trata-se de um exame indicado para avaliar e identificar doenças, lesões e outros problemas – doença do refluxo gastroesofágico e contaminações por bactérias, por exemplo – em parte do sistema digestivo. Por meio de uma sonda, o endoscópio, o médico é capaz de visualizar os órgãos; realizar coleta de tecido para a realização de biópsia; e ainda pode realizar cauterizações e outros procedimentos, como endosutura, colocação e retirada de balão intragrástrico, etc.

PARA QUE A ENDOSCOPIA É INDICADA?

O exame de endoscopia pode ser solicitado para investigar possíveis doenças em pacientes que apresentem os seguintes sintomas repetidamente e/ou que perdurem algumas semanas. Conheça os mais comuns:

– Dor abdominal;
– Vômito;
– Sensação de inchaço após as refeições;
– Náuseas;
– Refluxo;
– Azia ou queimação;
– Dificuldade para engolir.

Há, ainda, outros procedimentos que podem ser feitos com o uso do aparelho endoscópico por exemplo:

– Sutura endoscópica (uma técnica de redução do estômago);
– Colocação e retirada do balão intragástrico (um dispositivo que auxilia na perda de peso);
– Retirada de pólipos ou tumores malignos quando em fase inicial;
– Colocação de próteses, como sondas alimentares em indivíduos incapacitados de se alimentar;
– Tratamento de dilatação para pacientes com estreitamento do tubo digestivo;
– Tratamento de varizes no esôfago ou no estômago.

QUAIS AS PRINCIPAIS DOENÇAS INVESTIGADAS PELO EXAME DE ENDOSCOPIA?

A endoscopia bastante indicada para diagnosticar a existência, avaliar o estágio e para o acompanhamento de doenças como gastrite, úlcera gástrica ou duodenal, doença do refluxo gastroesofágico, hérnia de hiato, pólipos ou tumores benignos, doença celíaca (intolerância ao glúten), infecções (por H. pylori, por exemplo), e cânceres no esôfago, estômago ou porção inicial do intestino delgado.

COMO É O EXAME E QUAIS CUIDADOS DE DEVE TER ANTES DA SUA REALIZAÇÃO?

Para a realização do exame, é necessário que o paciente esteja em jejum conforme orientação. As orientações pré-procedimento devem ser passadas pelo médico ou pela(o) atendente da clínica no momento da marcação do exame. Além do jejum, as orientações devem informar sobre a necessidade ou não da suspensão de medicamentos antes do procedimento. O paciente deve estar acompanhado por uma pessoa maior de 18 anos que possa se responsabilizar por ele após o exame. Em hipótese alguma, o paciente poderá sair da clínica dirigindo, andando sozinho ou pegar condução, táxi ou carro de aplicativo sem um acompanhante.

O procedimento é feito com o paciente sedado, para que não haja dor nem desconforto durante o exame. Após a sedação, é aplicado um analgésico local (na boca e na garganta), e o paciente é preparado para a colocação da sonda endoscópica através da qual o médico faz as observações e pode retirar amostras de tecidos para análises.

O exame dura em torno de 20 minutos, mas o paciente deve permanecer no ambulatório / na clínica até passar o efeito da sedação (cerca de uma hora). O paciente não deverá desempenhar qualquer atividade que requeira atenção, pois os efeitos da sedação e da anestesia podem durar até 12 horas.

Após a realização do procedimento, é comum que o paciente sinta algum desconforto na garganta ou no estômago (como queimação ou sensação de estufamento). Essa sensação pode ocorrer imediatamente após o exame e tende a desaparecer naturalmente, sem a necessidade de medicação.

Caso o paciente apresente episódios de vômitos, febre, sangue na garganta ou nas fezes nos dias seguintes à endoscopia, deve buscar orientação médica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *